Castelo Branco: Metalúrgica com imagens que contam histórias

A exposição “Metalúrgica”, que apresenta um conjunto significativo de fotografias da antiga fábrica albicastrense, da autoria de António Duarte Costa, leva-nos para meados do século passado (a fundição trabalhou entre os anos 30 e 90). Mas acima de tudo mostra-nos e conta-nos as histórias daquela antiga indústria albicastrense, dos seus colaboradores, da produção, da envolvência da cidade.

As peças ali produzidas, os teares, as betoneiras, os arados ou os motores de rega, mostram quanto diversa era a produção da Metalúrgica. E ali estão elas, em fotografia, acompanhadas de processos de fabrico, dos fornos e do ferro fundido, dos laboratórios, das instalações. Ali estão também os funcionários e os aprendizes da arte (crianças ainda), mas também quem mandava. Surgem ainda as festas de Natal e o olhar das crianças, que mesmo com uma prenda na mão, não mostravam o brilhozinho nos olhos próprio das alturas festivas, talvez porque nessa época o sorriso não era coisa para todos.

A mostra, organizada por Carlos Semedo e Carlos Matos, está patente no Museu Francisco Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco e pode ser vista até 4 de fevereiro. A inauguração decorreu no passado sábado, numa cerimónia em que o vice-presidente da Câmara, José Augusto Alves, destacou a importância da exposição, a qual apresenta imagens que retratam a antiga fábrica da Metalúrgica, situada num espaço que hoje está a ser requalificado pela autarquia albicastrense.

As imagens são do acervo de António Duarte Costa, antigo correspondente da RTP no Distrito de Castelo Branco, escriturário de profissão, falecido em 1976, com apenas 44 anos.

Aquilo que à partida nos poderia conduzir para simples imagens da Metalúrgica depressa nos transporta para um conjunto de histórias, porque cada imagem fala por si. O enquadramento, a luminosidade e a técnica exibidas em cada uma das fotografias faz recordar as fotos de grandes nomes internacionais da arte da imagem.

A seleção das fotografias pertence a José Costa, filho de António Duarte Costa, e a Carlos Matos, que entre centenas de fotografias e negativos, que, como referiram na apresentação, tiveram uma grande dificuldade em escolher as que compõem esta mostra, dada a sua excelente qualidade. Carlos Semedo, assessor da autarquia para a área cultural, também sublinhou a dimensão da exposição, a qual inclui ainda um vídeo disponibilizado por um antigo funcionário da Metalúrgica, José Manuel Mendes (a qual mostra a fábrica em laboração em 1990), e algumas peças artísticas produzidas pelos antigos colaboradores e disponibilizadas por João Ramalhinho e João Barata.

O acervo fotográfico de António Duarte Costa, um homem que também foi fotojornalista num período difícil em que imperava a lei do Estado Novo, poderá ainda vir a dar origem a outras exposições, pois é diversificado e procura mostrar a contemporaneidade do seu tempo.

Fonte: http://www.reconquista.pt/articles/metalurgica-com-imagens-que-contam-historias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *